Conheça os lugares visitados por Álvaro nessa experiência:

 

O meio de transporte: Navio

 

Ushuaia – O ínicio da viagem

Ushuaia é uma cidade da Argentina e capital da Província da Terra do Fogo. É conhecida como a cidade mais austral do mundo ou a cidade do Fim do Mundo. Encontra-se sobre o limite setentrional do Canal de Beagle.

 

Restaurante Tia Elvira

A centolla da Patagônia é uma espécie de caranguejo que, como o próprio nome deixa claro, só existe por lá. Chega a 2 metros de comprimento de uma pata a outra e pode pesar até oito quilos . São encontradas a mais de 150 metros de profundidade. Algumas a mais de 600 metros. Famosa também por ser um dos pratos mais famosos da Patagônia e uma especialidade do restaurante Tia Elvira.

 

Baía de Wulaia – A segunda parada

A baía de Wulaia fica na Ilha Navarino. Lá foi criado o primeiro assentamento europeu da Patagônia.

 

Os vestígios arqueológicos

Como os ingleses queriam civilizar a população local, na segunda viagem do Beagle em 1831, o capitão Robert Fitzroy trouxe de volta um índio que eles tinham raptado na primeira expedição à Terra do Fogo. Seu nome era Orundellico, mas na Inglaterra ele acabou virando Jeremy Button. Todos os ingleses achavam que ele era um sujeito fácil de lidar, muito bonzinho. E foi esse Jeremy Button – ou melhor, esse Orundellico – que veio para ajudar os ingleses a civilizarem seus parentes, seus amigos, sua tribo. Só que não demorou muito para ele arrancar suas roupas e voltar a usar seus cabelos compridos. Em 1855 ele liderou uma revolta em massa, que estraçalhou praticamente todos os ingleses que estavam na missão. Aí os ingleses perceberam que Jeremy Button continua mais Orundellico que nunca. Wulaia é um tesouro da humanidade.

 

Cabo Horn – A terceira parada

Cabo Horn é o ponto mais meridional da América do Sul. Encontra-se na Terra do Fogo, na porção pertencente ao Chile. Dos grandes cabos, é o que se encontra mais ao sul e compõe a parte norte do Estreito de Drake. É lá que o Atlântico e o Pacífico se encontram.

 

Parque Nacional do Cabo Horn

O Parque Nacional do Cabo Horn foi declarado pela UNESCO como uma reserva da biosfera em 2005. É um monumento e uma imensidão: são 63 mil hectares. É um dos raríssimos ambientes do mundo que ainda está praticamente livre de qualquer impacto humano. Não é fácil chegar aqui. Essa é uma das rotas de navegação mais perigosas do mundo. Foram tantos acidentes fatais nesse mar que até ergueram um monumento em homenagem aos que morreram tentando dobrar o cabo. O texto no monumento com o albatroz é sugestivo: Eu, o albatroz que espera por todos no fim do mundo, sou como a alma esquecida dos marinheiros perdidos que vieram de toda parte e tentaram cruzar o Cabo Horn. É meio sinistro.

 

A Geleira Gunter Plüschow

De um minuto para o outro não, mas eles se deslocam pelo menos dois metros por dia. As geleiras da Antártida chegam a percorrer até 750 metros por ano. Uma geleira é uma massa compacta de gelo formada por camadas e camadas de neve. A formação de uma delas pode demorar milhares de anos. Elas se formam, se cristalizam – e saem por aí passeando. O Glacial Gunter Plüschow é impressionante. Esse foi o nome dado a essa geleira por um pioneiro da aviação alemã que passou por lá. A bordo de um avião anfíbio chamado Feuerland ele chegou em Punta Arenas e passou 3 anos – de 1928 até 1931 – explorando e catalogando a região. Ele descobriu tanta coisa nova que acabou tendo um a geleira com o seu nome.

 

A Ilha Magdalena – A quarta parada

A Ilha Magdalena é uma espécie de paraíso dos pinguins. É a maior colônia dessa espécie no mundo: mais de 60 mil casais de pinguins de Magalhães vivem por lá. A população da Ilha Magdalena é tão grande que em 1982 ela foi declarada Monumento Natural dos Pinguins pela ONU.

 

Os pinguins

Os pinguins-de-magalhães são bichos fiéis e de hábitos muito regulares. São uma espécie de funcionários públicos do reino animal. Pacatos, sistemáticos, tranqüilos. Quando eles escolhem um lugar para passar um verão é lá que vão passar o verão inteiro. Quando escolhem um parceiro, é para a vida toda. No inverno os pingüins de Magalhães migram para o norte. Alguns, mais abusados, chegam até a costa brasileira -normalmente no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.

 

Punta Arenas – O fim da viagem

A cidade é um dos portos mais importantes da península de Brunswick é um dos pontos de chegada mais utilizados para as expedições na Antártida. A população de Punta Arenas é muito curiosa. Seus habitantes têm raízes européias. São descendentes de croatas, espanhóis, suíços…Tem de quase tudo.

 

A Cueca – Dança Típica

Cueca é a dança mais tradicional do Chile – uma mistura do Fandango espanhol com algumas danças africanas. Em sua origem, a dança tenta reproduzir a corte de um galo a uma galinha. O nome pode não ser dos mais líricos – mas não deixa de ser uma história de amor. E em todo lugar a cueca é diferente da outra. Tem a cueca centrina, a nortina, a magallânica, a chilota, a portenha, a urbana, a huasa, a chora. É cueca que não acaba mais. A cueca chilota, é típica do arquipélago de Chiloé, da Patagônia. Esse tipo de cueca privilegia o canto, tem os passos mais curtos, mais cheios de energia.

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Parceiros: