Conheça os lugares visitados por Álvaro nessa experiência:

 

Bumba-meu-boi

A tradição do Bumba-meu-boi começou no Nordeste mas logo se espalhou pelo Brasil Inteiro. E ganhou um monte de nomes: boi-bumbá, boi-calemba, boi-de-reis, boi-surubim e boi-zumbi, boi-janeiro, boi-estrela-do-mar e até dromedário. A festa é um sucesso disputado: no mês de junho e julho a capital, São Luís, fica lotada de pessoas que querem brincar de Bumba-meu-boi. A dança tem vários personagens e cada um tem sua parte na dança. Tem o Amo que é o dono da fazenda e, mais importante, do boi. Tem o pai Chico, que é o empregado da fazenda que vai roubar o boi para mãe Catirina, uma negra engraçada e grávida que acaba com desejo de comer a língua do boi, mas a estrela mesmo da dança é o boi.

 

Restaurante Maracangalha

O Restaurante Maracangalha está localizado na Ponta do Farol, bairro nobre de São Luiz do Maranhão. E faz parte hoje da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança que seleciona alguns dos melhores restaurantes do País. Chef Dantas é um defensor da culinária tradicional nordestina e também um inventor, ele criou uma geléia de pimenta que não tem igual. Mas por ser tão tradicional, o Chef Dantas, sabe muito bem preparar um típico arroz de cuxá. O arroz de cuxá surgiu na cidade de São José do Ribamar, no Maranhão, é uma mistura de várias influências. A base da receita é a vinagreira, planta originária da África, também é conhecida como azedinha, caruru-azedo e quiabo-róseo. A receita tem um pitada da África e uma pitada da gastronomia indígena do Brasil com a plantinha joão-gomes.

 

Chama Maré

O Chama Maré é um bar de praia muito famoso em São Luís. Lá as pessoas se divertem dançando reggae. O Maranhão adotou o reggae com tanto entusiasmo que hoje o estado é conhecido como a Jamaica brasileira. E é o único lugar do mundo onde se dança reggae bem agarrado.Outra curiosidade do reggae do Maranhão são as gírias que apareceram junto com a nova música: um reggae bom é “pedra”. Um muito bom, é “pedrada”.

 

Barreirinhas

Barreirinhas é uma cidade muito especial, o lugar é conhecido como a porta de entrada para os Lençóis Maranhenses. E os Lençóis Maranhenses são conhecidos como uma das maiores belezas naturais do Brasil. O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses tem 155 mil hectares e suas dunas chegam a 40 metros de altura. Na base das dunas encontram-se milhares de lagoas de água doce. E o lugar é considerado o único deserto do mundo com lagoas.

 

Tenda dos Macacos

A tenda é da Dona Ana Lúcia e dos seu Nalberto. Mas, os donos da atenção por lá são os macacos. Quando Dona Ana Lúcia e seu Nalberto resolveram montar uma tenda para turistas no Rio Preguiças os primeiros visitantes que eles receberam foram macacos-prego. Como Dona Ana Lúcia gosta de receber bem todo mundo, ela começou a alimentar esses visitantes inusitados. A notícia se espalhou entre os macacos e mais e mais bichinhos começaram a frequentar a tenda. Então a notícia também se espalhou pelos turistas e a tenda virou uma atração. O curioso é que cada um dos quase 40 macacos tem um nome e Dona Ana Lúcia reconhece todos. Enquanto Dona Ana Lúcia gosta dos Macacos, seu Nalberto prefere os pássaros. O mesmo que dona Ana Lúcia fez com os macacos, seu Nalberto fez com os pássaros. Ele começou a alimentar papagaios, maritacas e curicas. Hoje as aves também vivem pela tenda e o lugar virou quase um zoológico com a diferença que os bichos vivem soltos

 

Casa de Farinha

A casa de Farinha de Tapuio é comandada pelo Zé Maria. A Casa de Farinha não tem muita tecnologia: só tem um forno que consiste de um é um tacho cimentado sobre tijolos e todos os equipamentos usados para a produção da farinha ainda são manuais. Lá não se produz só farinha, mas também tapioca, beiju e tucupi. E a farinha produzida na região é diferente da farinha que você encontra no supermercado. Eles produzem por lá a farinha d’água ou a farinha de pubá, um tipo mais hidratado, que passa por um processo de fermentação dentro da água de rio.

 

Farol Mandacaru

A vila de Mandacaru fica nos Lençóis Maranhenses,é famosa por um farol que todo mundo por lá conhece: O Farol Preguiças Ele é o único ponto de Mandacaru com energia elétrica mantida por um gerador. Seu Zelico,o faroleiro, vendo a carência do povoado, resolveu emprestar um pouco da energia que tinha para o posto Telefônico e para padaria. A Rádio Popular foi montada pelo próprio seu Zelico, que reuniu algumas coisas e montou um posto de transmissão dentro da própria casa. Como seu Zelico tem a visão privilegiada do seu farol, ele pode não só dar notícias locais, como avisar quem chega e quem sai da vila. É como um farol falante ou uma rádio no mar. A rádio começa a funcionar às seis da manhã. ara acordar as crianças para ir pra escola. Além disso, o farol orienta as embarcações e o seu Zelico orienta os moradores de lá.

 

Restaurante da Dona Luzia

O restaurante da dona Luzia não é só um restaurante: é uma pousada e o lugar onde dona Luzia mora. Ela nunca diferenciou seu restaurante de sua casa. E Dona Luzia recebe os clientes como recebe visitas.E recebe na surpresa, porque por lánão há como se comunicar. Mas lá você sempre encontra a hospitalidade da Dona Luzia e o camarão.

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Parceiros: