Neste Domingo Álvaro Garnero mostrou diversas facetas do Catar, uma delas, muito importante, é o respeito à história do País.

Isso pôde ser visto em dois dos passeios, um no Dhow, o barco típico do Catar e um passeio que os incríveis SOUQ WAQIF BOUTIQUE HOTELS podem proporcionar a todos seus hóspedes. O Dhow é a embarcação mais tradicional do mundo árabe – levando em conta que os árabes foram um dos primeiros navegadores, é uma das embarcações mais tradicionais do mundo. Existem registros de dhow muito antigos, inclusive desenhos em rochas, na área arqueológica de Al Jassasiya, no próprio Catar, que datam entre o século 15 e século 5 a.C.

 

Outro passeio imperdível para entender a história do Catar são os museus do bairro Mshreibe. Mshreibe é o bairro mais antigo de Doha que está sendo completamente reformado. É a primeira restauração completamente sustentável da cidade. Todas as construções estão sendo feitas dentro dos padrões de “green buildings” e nenhum carro vai poder entrar no bairro depois de pronto. Toda a circulação de carros vai ser subterrânea. O bairro ainda está em reforma, mas já tem quatro museus funcionando e uma mesquita, (com uma porta impressionante, toda feita em ouro). Os museus lembram do passado do Catar, quando a economia era baseada na pesca de pérola e a mudança dessa economia com a descoberta do petróleo e do gás natural no país.

 

Uma surpresa foi descobrir uma praia de águas cristalinas escondida atrás de gigantescas dunas. É a área de Khor al Adaid, uma verdadeira pérola do Catar que foi apresentada para a equipe do 50 por 1 pela família real do país, com direito à tenda com ar-condicionado em uma praia particular. A chegada na praia e os passeios pela área requerem obrigatoriamente o uso de um 4×4, dado o tamanho das dunas – não existe acesso por estrada.

 

Por fim, é hora de falar de futuro – e Álvaro chegou nesse futuro do Catar, navegando no Dhow. O futuro veio em forma de restaurante, com um design arquitetônico de tirar o fôlego e uma culinária com influências asiáticas, mas que aceita toques do mundo inteiro. É o Nobu de Doha. O restaurante foi inaugurado em 17 de abril de 2015. É o segundo Nobu no Golfo e o maior Nobu do mundo. É o 32º restaurante da rede. Um dos sócios do restaurante é o Robert de Niro e ele foi prestigiar a inauguração em Doha. O restaurante tem espaço para 192 clientes sentados, um balcão de sushi onde cabem dez clientes e duas salas de jantar privadas onde cabem um total de 82 pessoas. O design faz lembrar propositadamente de uma concha em espiral e, de longe, ele parece estar flutuando. Álvaro foi surpreendido por uma receita de risoto de lagosta com quinoa, feita pelo chef alemão Andrew Bozoki. Uma mistura de sabores que pode resumir bem o que hoje é Doha, uma cidade cheia de tradições, mas voltada para o mundo.

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Parceiros: