Em sua chegada na Patagônia Álvaro Garnero não mediu esforços para mostrar uma das paisagens mais exuberantes das Américas por todos os ângulos.

 O passeio começou num helicóptero, onde Álvaro e equipe puderam ter uma noção da dimensão das montanhas dos Andes e dos lagos que se formam entre as montanhas, um dos lugares escolhidos pelo piloto Roberto Valdez para um pouso e onde ele abriu uma espumante para equipe celebrar as belezas de um dos locais mais austrais do mundo.

Depois do voo, a equipe do 50 por 1 embarcou em uma nova aventura, para conhecer alguns dos pontos mais interessantes no Canal de Beagle. O canal, dividido ao centro entre Argentina e Chile, esconde uma série de atrações. No início da navegação é possível observar a Baía  de Ushuaia. No caminho o barco pela Ilha dos Pássaros onde puderam ver diversas aves marinhas fueguinas como skúas, albatrozes e gaivotas. Na famosa Ilha dos Lobos a equipe se divertiu com a exibição de um dos lobos e se encantou com os bichões tomando sol. Outra atração é o Farol Les Eclaireurs, um cartão postal da área. Perto do farol Álvaro também conheceu os cormoranes, que parecem muito com os pinguins, mas o encontro com os verdadeiros pinguins, veio logo depois.

Para conhecer os pinguins, a jornada foi um pouco mais longa. Quase uma hora de estrada, mais uma travessia de vinte minutos de barco até chegar na Isla Martillo.  O passeio pode ter sido mais longo, mas valeu cada segundo. Logo na praia Álvaro avistou diversos pinguins-gentoo (papua para os argentinos). Esse tipo de pinguim é facilmente reconhecido pela mancha branca que lhe percorre a cabeça e pelo bico de um laranja vivo. Mede de 75 a 90 cm de altura, fazendo dele o terceiro maior pinguim, atrás apenas das duas espécies gigantes, o Pinguim-imperador e o Pinguim-rei. Os machos pesam entre os 8.5 kg e os 5.5 kg e as fêmeas entre os 7.5 kg e os 5 kg. Eles são minoria na Isla Martillo, mas são constantes, não migram ou dispersam. Hoje são 45 casais vivendo hoje por lá.

Mas a grande população de pinguins da ilha é a de Pinguim de Magalhães. O pinguim-de-magalhães é uma ave de médio porte, com cerca de 70 centímetros de comprimento e 5 a 6 quilogramas de peso. A sua plumagem é negra nas costas e asas e branca na zona ventral e no pescoço. A maior parte dos exemplares tem na cabeça uma risca branca, que passa por cima das sobrancelhas, contorna as orelhas e se une no pescoço, e uma risca negra e fina na barriga em forma de ferradura. Os olhos, bico e patas são negros. As aves são bastante fiéis a esses locais e há colônias na Argentina com mais de cem anos de história de ocupação. Durante a época de reprodução, que vai de setembro a fevereiro, os pinguins-de-magalhães formam casais monogâmicos que partilham a incubação e cuidados parentais. Os ninhos são construídos no chão à superfície ou em pequenas tocas. A ilha é protegida e os passeios dentro da ilha são controlados e precisam ser reservados com bastante tempo de antecedência. Mas estar ao lado desses bichinhos, é claro, não tem preço.

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Parceiros: